Desigual desde criancinha


IBGE aponta diferenças de acesso e de estrutura nas creches e pré-escolas de pobres e ricos
    A desigualdade na Educação brasileira começa desde cedo, e não se resume apenas ao acesso à Escola. O IBGE comparou a frequência à Escola de crianças de 4 e 5 anos por nível de renda. No grupo que concentra os brasileiros que estão entre os 20% mais ricos da população, apenas 7,5% das crianças estão fora da Escola. Já entre os 20% mais pobres, esse percentual cresce para 29%. Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais 2013 - Uma análise das condições de vida da população brasileira.
    Não bastasse o acesso desigual, uma vez matriculados numa Pré-Escola, estabelecimento que atende a esse grupo etário, a diferença na qualidade já é sentida desde cedo. A partir de dados do Censo Escolar do MEC, o IBGE identificou que a maioria das crianças matriculadas em Pré-Escolas públicas estuda em estabelecimentos sem parque infantil e banheiro adequado. 
    Até 2016, a matrícula nessa faixa etária será obrigatória, o que indica que ainda há um esforço a ser feito para se adequar à nova legislação.   Leia mais.
ACPM - FEDERAÇÃO RS. Tecnologia do Blogger.