O PAPEL DA MULHER NA EDUCAÇÃO

ESTÁ NAS MÃOS DAS MULHERES A REVOLUÇÃO NA EDUCAÇÃO,
O QUE ELAS ESTÃO ESPERANDO?

     Mais de 80% do professorado da educação básica é constituído por mulheres (sendo 97% educadoras infantis). A escola é lugar de informação e de formação de valores e atitudes. Diante disso, como ainda encontramos discriminações contra as mulheres e a sua exclusão do processo escolar no processo de construção de atitudes reais, concretas e cidadãs, em um ambiente predominantemente feminino? O que se observa na prática é que a escola reproduz a ideologia discriminatória sobre os valores femininos, resultando em atitudes isoladas e precárias diante do mundo.   
     A educação tem o objetivo de facilitar aos segmentos sociais acesso aos direitos e vivências proporcionados pela sociedade, pois quando as mulheres têm pouca ou quase nenhuma visibilidade, mobilidade e atitudes no campo político, social e familiar, seu crescimento se torna mais difícil, inviabilizando a vivência plena da cidadania ativa. Apesar dos movimentos feministas e do declínio da cultura patriarcal ocorridos nos últimos anos, ainda prevalece o domínio masculino no estabelecimento das leis e dos direitos, em função da pequena participação das mulheres nas instâncias decisórias, isto é, na elaboração de políticas públicas no contexto social. No Brasil, embora com uma maior escolarização, maior participação social e presença das mulheres no mercado de trabalho, as estruturas patriarcais ainda não foram rompidas totalmente.
     A desigualdade educacional é uma das grandes falhas dos direitos das mulheres e meninas e também uma barreira importante ao desenvolvimento social e econômico de famílias por elas comandadas. Uma educação de qualidade, uma transformação nos valores e preconceitos tem que partir das próprias mulheres em seus movimentos sociais, e em seus espaços de atuação para que comecem a pensar e repensar como foram e são construídas exclusões e discriminações.
     É na escola que a mulher tem sua grande chance de formar gerações e transformar indivíduos plenos e capazes de escolher seu futuro, mudar o rumo da história. Se não for assim, como poderão viver e sobreviver sabendo que tiveram esta oportunidade nas mãos e não o fizeram, de fazer a diferença na vida escolar e social destes jovens, quando muitas portas se fecharam?
    Se o espaço escolar é composto majoritariamente de mulheres, e a educação em geral vem perdendo vertiginosamente a qualidade, onde foi que nós erramos? Quando foi que nos distanciamos do caminho que traçamos?                                    bccosta

ACPM - FEDERAÇÃO RS. Tecnologia do Blogger.